Agosto Dourado: amamentar é um ato de amor

Foto: Divulgação

Muita gente sabe, mas é sempre bom falar que o leite materno é o alimento mais completo que um bebê pode receber desde o seu nascimento. A indicação é de que a amamentação deve seguir de forma exclusiva até o 6º mês e de forma complementar até pelo menos os dois anos.

O leite materno protege o bebê de uma série de doenças como as alérgicas e contagiosas, além de diminuir as chances de desenvolver doença de Crohn e linfoma. Melhora a digestão, minimizando também as cólicas, e contribui para o fortalecimento da arcada dentária, formação dos dentes e desenvolvimento da fala. Sem falar que a amamentação comprovadamente diminuir os riscos de morte infantil.

Você sabia que há estudos que relacionam a amamentação exclusiva do bebê até os seis meses com o aumento da inteligência e prevenção de doenças crônicas na vida adulta? Por esses e outros tantos motivos, que a Amamentação tem um mês totalmente dedicada a ela – o Agosto Dourado. Para que possamos falar sobre o assunto, estimular as mamães e incluir profissionais, famílias e amigos nessa verdadeira “corrente do bem” pró amamentação.

Um outro benefício muito importante que a amamentação traz para os bebês é o fortalecimento dos laços afetivos mãe e bebê. Os momentos íntimos que têm, faz com que a criança cresça com mais confiança, segurança e autoestima, sentimentos fundamentais para todos os adultos.

Além dos indiscutíveis benefícios para os bebês, a amamentação é também muito importante para a saúde das mamães.

O aleitamento materno diminui o sangramento pós-parto, ajuda o útero a voltar ao normal e acelera a perda de peso. Também é comprovado que mulheres que amamentam têm pouca probabilidade de desenvolver anemia, osteoporose, doenças cardíacas e câncer de mama, ovário e endométrio.

Apesar das dificuldades que as mulheres podem enfrentar durante a amamentação com o surgimento de fissuras, rachaduras e infecções do tecido mamário, tudo vale a pena!

Para que a mãe chegue ao momento de aleitamento mais preparada, é fundamental, pelo menos, uma consulta com um pediatra antes do parto. É quando as mulheres podem esclarecer as dúvidas e obter informações importantes para ela e o bebê.

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS