Rio das Ostras intensifica divulgação de serviços prestados às vítimas de violência doméstica

Foto: Divulgação

Objetivo é popularizar o trabalho desenvolvido na Cidade e conscientizar toda a população pelo fim da violência contra a mulher

O mês de agosto é motivo de comemoração para todos, especialmente para as mulheres que há 15 anos podem contar com a Lei Maria da Penha, a legislação que foi criada para estipular punições adequadas a agressores de mulheres e coibir quaisquer atos de violência doméstica.

Em Rio das Ostras, desde abril de 2019, a Patrulha Maria da Penha presta um atendimento qualificado, humanizado e inclusivo à mulher em situação de agressão, desta data até hoje, os agentes já realizaram mais de mil atendimentos.

O Município também inaugurou, no mesmo ano, o Centro Especializado de Atendimento à Mulher – Ceam, localizado na Avenida Governador Roberto Silveira, em Costazul. O local conta com uma equipe especializada e multidisciplinar que disponibiliza atendimento psicossocial e acompanhamento jurídico.

Neste mês, a Patrulha Maria da Penha, juntamente com o Centro Especializado de Atendimento à Mulher - Ceam, visita equipamentos públicos, como Unidades de Saúde, Centro de Cidadania, Unidades de Assistência Social, Secretaria de Educação, entre outros, para a divulgação de cartazes e panfletos para conscientização pelo fim da violência doméstica e também para a difusão dos serviços prestados pelo Município a essas mulheres.

Para a inspetora e responsável pela Patrulha Maria da Penha, Auristela Araújo, essa divulgação está sendo de suma importância, pois assim nestes locais de maior circulação de pessoas todos tomam conhecimento dos serviços prestados.

“Os cartazes e os panfletos distribuídos nestes locais de grande movimento contribuem na popularização dos serviços prestados pela guarnição da Patrulha e também do Ceam, fazendo com que muitas mulheres tomem conhecimento e procurem a ajuda necessária. Elas se sentem mais confiantes em saber que podem contar com um aparato fornecido pelo Município e conseguem romper o ciclo da violência, seja ela qual for”, destacou Auristela Araújo.

LEI Nº 11.340 - A Lei nº 11.340 foi sancionada em 7 de agosto de 2006, e passou a ser chamada de Lei Maria da Penha em homenagem à mulher cujo marido tentou matá-la duas vezes e que assumiu para si a luta no combate à violência contra as mulheres.

A inspetora Auristela Araújo, também falou que todos podem e devem ajudar no enfrentamento à violência contra a mulher. “A população precisa entender que essa luta é do coletivo, e que todos devem ajudar. As denúncias não precisam ser feitas somente pela vítima, podem ser realizadas por parentes e até mesmo vizinhos”, contou.

Em todos os casos de violência previstos na Lei Maria da Penha, seja agressão física, moral, psicológica, patrimonial e até mesmo a violência sexual, as vítimas podem acionar a Patrulha de duas formas: realizando a ligação para o número 22 2771- 5000 e também mandando mensagem para o mesmo número, por meio do aplicativo Whatsapp.

O atendimento é feito 24h por dia em todos os dias da semana.

ATENDIMENTO - O contato pode ser feito também pelos números de telefone e pelo aplicativo WhatsApp: Patrulha Maria da Penha (22) 2771-5000 (Whatsapp), Guarda Civil Municipal 0800 022 6301, e Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam) (22) 2771-3125 (Whatsapp).

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS