Cachaça também é uma preferência nacional

Foto: Divulgação

Aos poucos, a cachaça, que já é considerada um patrimônio da cultura nacional, vem conquistando também a preferência dos brasileiros no gosto popular. Seja para ingestão in natura ou simplesmente para ser usada como mais um ingrediente na gastronomia, a cachaça definitivamente conquistou o seu espaço, além de ser considerada, por muitos, como benéfica para a saúde, desde que consumida de forma moderada.

Atualmente o Brasil produz quase dois bilhões de litros de cachaça por ano e conta com aproximadamente cinco mil marcas diferentes, dentre as industrializadas e artesanais. Apesar disso, a maioria do público consumidor fica restrita a poucas opções de rótulos.

A cachaça já foi uma bebida marginalizada e depreciada, ligada a classe operária e a camada social mais baixa da população. Com o tempo, essa situação foi se revertendo e, hoje em dia, a cachaça já divide prateleiras de todo o mundo com outros destilados famosos, como o uísque escocês, por exemplo.

Essa mudança de status fez com que o Brasil tenha a maior loja de cachaças online do mundo: a Cachaçaria Nacional, fundada por Rafael Araújo e Marcos Paolinelli, que comercializa mais de dois mil rótulos de cachaças artesanais de alambique em todo o país. O empresário Rafael foi o primeiro a rodar o Brasil a procura de cachaças autenticamente artesanais e conhecer todos os seus detalhes de produção diretamente dos alambiques onde são produzidas. Viajou por quase todos os estados produtores, o que lhe rendeu mais de dois mil rótulos degustados (e contando): uma biblioteca sensorial digna de pouquíssimos especialistas de cachaça no país. Foi assim que encontrou nas cachaças envelhecidas em barris de carvalho americano as melhores nuances do destilado.

Muito além de ser apenas um especialista intermediador entre os mais de dois mil rótulos que comercializa e o consumidor final, a Cachaçaria Nacional se empenha na constante evolução sensorial da bebida: “A cachaça é a bebida mundial que possui mais produtos armazenados em madeiras distintas. Enquanto bebidas como whisky e rum passam apenas em uma (carvalho), nossos mestres alambiqueiros e pesquisadores continuam a descobrir madeiras maravilhosas para armazenar nossa Cachaça.”, declarou o empresário.

O médico Anderson Chaves é um apreciador do destilado nacional e faz uso frequente da bebida. “Confesso que comecei a prestar mais atenção na cachaça depois que comecei a viajar para o exterior. Estava uma vez na Escócia, a trabalho, e no final do dia, depois de uma reunião de negócios fomos beber em um pub. Ao pedir um uísque, as pessoas se surpreenderam porque eu não pedi uma cachaça que, segundo eles, é uma das melhores bebidas do mundo, podendo ser comparada ao melhor uísque deles. A partir daí, comecei a pensar nisso com mais carinho e percebi que, realmente, algumas cachaças não ficam nada a dever aos outros destilados, nacionais ou importados”, declarou o médico.

Já o agente administrativo Eduardo de Almeida, que foi criado em Minas Gerais, mas que atualmente mora em Rio das Ostras, é categórico ao falar que a cachaça faz parte do seu cardápio há bastante tempo. “Na minha família sempre bebemos cachaça, desde jovem. É claro que gosto de cerveja, vinho, uísque, mas uma cachacinha não pode faltar, principalmente nos almoços de família. Além de tudo é ótima para abrir o apetite. Mas como meu pai sempre nos ensinou, é preciso beber com moderação”, alertou.

BENEFÍCIOS - A cachaça é rica em antioxidantes que protegem o coração e combatem o colesterol alto, além de anticoagulantes, substâncias que melhoram a circulação sanguínea e previnem o AVC e a trombose.

A ingestão moderada de álcool tem a capacidade de dilatar a parede das veias e artérias, elevar a temperatura corpórea e facilitar o fluxo sanguíneo, prevenindo coágulos e doenças, como trombose. Estudos apontam que pessoas que consomem bebida alcoólica moderadamente possuem o HDL (colesterol bom) mais elevado que as demais, e o risco de infarto é indiretamente reduzido. A capacidade intelectual e raciocínio também podem ser melhorados com o consumo moderado, diminuindo até mesmo o risco de Alzheimer.

A cachaça envelhecida pode ser ainda mais benéfica. Compostos fenólicos, fornecidos pela madeira, possuem propriedades antioxidantes e anticoagulantes. Quanto maior for o contato da bebida com a madeira, maior a extração e concentração desses compostos na cachaça, e consequentemente, mais benefícios para a saúde. A ação antioxidante favorece mecanismos de defesa do organismo e combatem fatores oxidantes, tais como radicais livres e o LDL (colesterol ruim).

É importante ressaltar que a quantidade ideal de cachaça a ser consumida varia de acordo com o metabolismo de cada indivíduo, assim como entre homens e mulheres.

CURIOSIDADE – A cachaça é uma bebida que agrada a maior parte dos pernambucanos das mais diferentes regiões e classes sociais, seja ela uma cachaça industrializada ou produzida artesanalmente. A bebida destilada é reconhecida como Patrimônio Cultural e Imaterial de Pernambuco desde 2008. É uma bebida digestiva que é utilizada para fins recreativos, mas também como produto fitoterápico na produção de tinturas, garrafadas e raizadas desde o século XVI.

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS