REGENERAÇÃO

Foto: Divulgação

Se procurarmos na internet os diversos significados de regeneração vamos encontrar: recuperação, refazimento, reconstituição e restabelecimento do que estava destruído.

Mas, REGENERAÇÃO foi também o tema da 51ª. Edição da Semana da Moda de São Paulo, a tão conhecida SPFW que aconteceu entre os dias 23 e 27 de junho com desfiles, entrevistas e lives sobre temas diversos como inclusão, diversidade, sustentabilidade e empreendedorismo. O tema REGENERAÇÃO foi incluído nas 43 marcas participantes do evento que ocorreu em modo virtual pelo segundo ano consecutivo. Essa edição foi recheada de reflexões sobre o momento atual, criatividade e inspiração. Foram muitas as estreias de novas marcas incluindo o Projeto Sankofa, coletivo que apresentou 8 estilistas negros que nunca haviam se apresentado e que vieram com muitas referências às origens, às raízes, com cores fortes e utilizando-se, muitos deles, de tecidos africanos, que se juntaram às grifes já conhecidas.

E a moda?
Como os desfiles foram todos apresentados em vídeo sem a utilização de um espaço único, cada estilista se apresentou em um local diferente, da forma e com a estrutura que escolheu. Então, as apresentações foram muito diversificadas. Alguns mostraram simplesmente o espírito da marca, outros, peças finais ao consumidor no estilo “eu quero essa” e, outros, ainda, o que acreditaram ser a moda da próxima estação.

O que ficou muito claro é que não tem uma tendência única. Cada designer mostrou uma proposta de moda diferente de acordo com sua inspiração. O bom disso é que cada uma de nós vai poder escolher o que nos agrada. Vai ser o nosso estilo que vai determinar o que vamos usar, o que combina conosco e o que queremos. E, garanto, as opções vão ser muitas.

Uma coisa me chamou muito a atenção. Este foi um desfile sem top models. Parece que a maneira de apresentar a moda, nesta edição, imitou a internet com influenciadoras e sem os encontros e eventos glamurosos das SPFWs presenciais do passado.

Mas a marca desta edição foi, definitivamente, o respeito à diversidade. E ela veio acompanhada de novos tecidos, tecnologia, uma paleta de cores para atender a todos os gostos e modelos não convencionais em passarelas que, na verdade, nos refletem, nós que somos mulheres de todas as idades, pesos e diferentes corpos, preferências e estilos. O tricô e o crochê estiveram presentes em diversas marcas e peças. Em relação às técnicas, uma das mais vistas foi o patchwork. Também vale ressaltar e aplaudir a utilização de matérias primas naturais e ecologicamente responsáveis além da valorização da cultura do nosso país.

Em resumo, o evento mostrou o respeito aos gostos, preferências e opções de cada um. Por isso, melhor nome não poderia ter sido escolhido – REGENERAÇÃO.

A 51ª edição da Semana da Moda de São Paulo nos chama a essa reflexão. Já é tempo de observarmos atentamente, refletirmos e aproveitarmos as lições que nos vem sendo impostas nestes tempos em que estamos vivendo. É momento de nos regenerarmos, nos reformarmos, nos reconstruirmos, nos ressignificarmos, de renascermos em atitudes e consciência, de deixar de lado velhos preconceitos e de sermos mais respeitosos e menos julgadores.

Porque não é a moda que muda o mundo. Somos nós mulheres que a vestimos que temos este poder.

Vale a pena conferir e assistir os desfiles que estão gravados em vídeo no site do SPFW – www.spfw.com.br. Você vai ficar encantada.

Mande um e-mail para moda.marciaalmeida@gmail.com para trocar idéias e sugerir temas ou envie um WhatsApp para (22)99700-0163.

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS