Profissionais do sexo também adotam home office na quarentena

Foto: Divulgação

Não está fácil para ninguém neste período de quarentena, mas a criatividade dos profissionais está fazendo com que boa parte dessa classe consiga manter o faturamento e, em alguns casos, aumentar seus rendimentos durante o isolamento social com a prestação de serviço home office.

Como o contato físico está proibido para evitar o contágio direto do Covid-19, esses profissionais estão apostando em apresentações de dança, striptease e do próprio corpo pela internet em suas redes sociais ou em plataformas digitais próprias para o assunto por meio de lives. Tendo em vista que grande parte da população está cumprindo à risca o isolamento e sem muitas opções de entretenimento, essa é uma opção.

De acordo com dados de plataformas que prestam esse serviço, como PornHub, CamSoda e ManyVids, por exemplo, o número de modelos que estão se inscrevendo nesses canais aumentou consideravelmente depois da pandemia. E esse número vai de encontro ao crescimento de espectadores que praticamente dobrou, se comparado ao início do ano passado.

NAMORO E SEXO ON LINE

Para a população em geral, independente de profissão ou condição financeira, o uso de celulares para fins de paquera e sexo também é uma alternativa para esse período de isolamento. Inclusive, pessoas que, até então não se interessavam por esse tipo de uso da tecnologia, acabam experimentando.

Segundo especialistas, sem a possibilidade de encontros devido à pandemia, as pessoas estão recorrendo também a troca de nudes e conteúdo pornô nas redes sociais como forma 'descarregar a tensão sexual' e se 'sentirem desejadas'.

No Brasil, por exemplo, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, liderado pela ministra Damares Alves, divulgou uma cartilha em que aconselha profissionais do sexo a fazer atendimento online, tendo em vista que, com um isolamento que atinge milhões de pessoas, o consumo e o compartilhamento de conteúdos sexuais vêm aumentando.

Para a sexóloga Ana Canosa, membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Sexualidade Humana (SBSH), essa é uma tendência natural porque a sexualidade é uma fonte de prazer importante para a vida humana. “Nessas questões, a pessoa pode obter o prazer sozinha, sem precisar do outro. Num momento como esse, de isolamento, usar as ferramentas de tecnologia para essa busca é comum", diz.

Canosa alerta ainda sobre os cuidados na troca de mensagens. “Não há controle sobre o conteúdo compartilhado com os contatos. Tem que ter cuidado para quem manda foto, com fotos mostrando rosto e com os dispositivos compartilhados com a família", alertou.

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS