Tempo de folia também é tempo de cuidado!

Foto: Divulgação

Carnaval chegando novamente, aquele feriado prolongado, e cada um com seus planos: tem gente já preparando a fantasia e o glitter, tem os fãs do bloco e carnaval de rua, tem os que vão desfilar na Sapucaí (ou assistir todos os desfiles pela TV), tem também a galera que aproveita o feriado para descansar e ir para um lugar bem sossegado, longe de festividades, tem os que curtem a maratona de séries e tempo pra fazer nada… Tem até os que trabalham, e muito, nesse período, para que a festa aconteça e para cuidar dos outros (os trabalhadores da saúde e da segurança, por exemplo).

Seja qual for a sua tribo, sempre é bom lembrar uma coisa básica: respeite a opinião alheia! Não julgue as escolhas dos outros, pois cada um tem todo o direito de curtir o feriado como bem quiser.

Pra quem gosta da folia, fica a dica: cuidado, essa é a palavra chave, no Carnaval e sempre. E não é no sentido de “olha, cuidado, não bebe no copo dos outros, usa camisinha,” etc. (embora esse tipo de cuidado também esteja na ordem do dia!). Queremos falar sobre cuidado no sentido bem geral mesmo, de cuidado consigo mesmo, com o outro, com o ambiente. Cuidado como carinho, atenção e amor próprio.

Você cuida de si quando respeita os limites do seu corpo, não bebe exageradamente e se hidrata, se alimenta bem, para poder aproveitar a noitada da festa sem susto e sem “pagar mico”. Também pode cuidar do outro/outra perto de você, seja seu amor de carnaval ou de longa data, amigo ou amiga.

O clima quente, a festa e os excessos de substâncias podem ser motivo ou desculpa para certos comportamentos que não são nada saudáveis, ou aceitáveis, todos sabemos. E não pode ser justificativa para comportamento abusivo ou agressivo, ou assédio: brincar sim, mas com respeito e cuidado! Se a moça/moço não der atenção, não vale tocar, pegar, importunar, muito menos xingar, não é mesmo? Deixa pra lá, faz um carinho no ego ferido se for o caso, e segue o baile!

O assédio e os casos de violência sexual, infelizmente, aumentam nesse período. Então, caso você veja alguma pessoa (seja homem ou mulher) sendo importunada(o), ou em situação de risco porque bebeu demais, ou por qualquer outro motivo, não se omita. Chegue perto, ofereça ajuda, interfira! Todos sabemos que tais situações não são nada legais e podem ter consequências bem graves para a vítima. E sim, beijar a força é considerado estupro, pela atual legislação do país. Seja criativo/a nas “cantadas”, não force a barra nem desrespeite!

Dá pra brincar o Carnaval e ser “politicamente correto”? Claro que sim! Dá pra não jogar lixo no chão, evitar o xixi na rua, ser gentil na paquera. Garanto que tudo isso só melhora sua “nota” e sua participação nessa festa maravilhosa, tão brasileira, e que pode ser muito, muito divertida.

Só não esquece da marchinha: “todo Carnaval tem seu fim”, e na quarta-feira de cinzas tudo volta ao normal. Colombinas, pierrôs e arlequins, unicórnios, baianas e piratas voltam para as suas vidas de sempre, e se a gente puder levar do Carnaval só memórias felizes (quem sabe um amor que dure o ano todo?), tanto melhor.

Então lembra: curta seu feriado do jeito que escolher, cuide de si da melhor maneira possível, seja na rua, em casa, no baile, na cachoeira, na praia, na fazenda. E seja feliz!

Até a próxima, que vou ali preparar minha fantasia!

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS